quinta-feira, 6 de maio de 2010

IHU - Unicap debate o fantasma da alienação parental


Católica debate o fantasma da alienação parental

Dia Internacional // Ato de pai ou mãe denegrir a imagem do outro ganha data para reflexão


Hugo*, 8 anos, não quer ouvir falar o nome do pai. Nos dias de visita, ele faz cara feia, às vezes chora, e não quer sair de casa. Quando o pai consegue quebrar a resistência e levar a criança a um passeio, a genitora não esconde, na volta, a cara de desagrado. Passa o dia falando mal do ex-marido, conta que o pai é um "cafajeste", que não ajuda a comprar suas roupas e a pagar a escola - detalhes que nenhuma criança merece ouvir. Para não deixar a mãe triste, Hugo prefere evitar os contatos com o pai. E assim, ele vai sendo programado a esquecer e a odiar, como tantos outros meninos e meninas. A prática é tão comum que ganhou um dia para ser lembrada. É justamente hoje, nesse domingo, Dia Internacional de Conscientização da Alienação Parental. No Recife, o tema será discutido em mesa redonda no auditório do bloco B, na Universidade Católica, próximo dia 28, às 19h.


Existe um projeto de lei em tramitação no Senado e que propõe a perda da guarda e a prisão, de até dois anos, para o autor da alienação parental em crianças e adolescentes. Mas o caminho para mudanças na sociedade ainda é longo. Autora do livro Alienação Parental e sua Síndrome: aspectos psicológicos e jurídicos no exercício da guarda após a separação, a especialista em psicologia jurídica, Maria Valéria Correia, diz que uma das saídas para o problema é a mediação familiar e a guarda compartilhada.

"Não existe uma fórmula pronta. Mas um profissional capacitado pode estudar o quadro e apresentar alternativas que evitem o sofrimento das crianças. Há casos em que uma guarda compartilhada é uma boa opção", declarou. "Outro caminho (dessa vez no contexto mais geral) é investir em políticas públicas e fazer um trabalho preventivo nas escolas", declarou, acrescentando que os governos precisam estar atentos à nova realidade da família brasileira.

Segundo Valéria, mais da metade das crianças de pais separados sofre lavagem cerebral e o genitor alienante dificilmente consegue perceber o mal que faz sozinho. "Cair em si émuito difícil. Quando o genitor alienante vem perceber o problema é porque está avançado demais. O alienante estabelece uma relação simbiótica de muita dependência e a criança desenvolve um comportamento de pura lealdade para não magoá-lo. Isso pode levar a várias doenças psicossomáticas", explicou.

Para Valéria, é importante que os profissionais que lidam com questões de família busquem sempre informações sobre a alienação parental. Ela reforça que as sequelas são grandes quando "a lavagem cerebral" não é identificada. "Conheci uma criança de 5 anos que desenvolvia sudorese e tarquicardia perto de janela. Isso porque o pai dizia para ela, como se fosse um segredo, que a mãe ou a tia podiam jogá-la pela janela, como aconteceu com Isabella Nardoni. Você imagina o que é um pai falar isso para um filho?", questionou.


Saiba mais sobre a síndrome

A criança vítima da Síndrome de Alienação Parental sofre uma lavagem cerebral da mãe ou do pai e desenvolve um ódio injustificável pelo genitor alienado

Quando vítima da síndrome, a criança normalmente apresenta distúrbios psicológicos como depressão, ansiedade e pânico

Na adolescência, a vítima da alienação parental fica mais propensa a usar álcool e a cometer suicídio para se livrar da dor de ter sido "abandonado" por um de seus pais

adultas, as vítimas da alienação parental podem apresentar problemas sexuais, porque teve a imagem de um dos pais destruída

As consequências da síndrome também são baixa autoestima e dificuldade de ter uma relação estável, quando adultas

Fonte: psicóloga e advogada Maria Valéria de Oliveira Correia Magalhãe

Maria Valéria, que lançou um livro sobre o tema, diz que filhos de pais separados costumam passar pelo problema Foto: Helder Tavares/DP DA Press

4 comentários:

JOSÉ AMAURI CLEMENTE disse...

achei um blog diferente, exatamente o que eu queria, acho que tu fala minha lingua sabe?
aida vamos nos cruzar no mundo dos blogueiros

Alexandre Pitante disse...

Paz,

Parabéns, pelo seu trabalho neste blog. Que Deus em Cristo Jesus continue lhe abençoando poderosamente.

Estou seguindo o vosso blog.

Aproveito pra lhe convidar a visitar meu blog também. Avivamento pela Palavra é um blog voltado aos amantes da Bíblia sagrada como Verdade Absoluta e que só através Dela seremos mais crentes e mais cheios do Espirito Santo. Comente, pois seus comentários são muito importante para mim poder estar sempre em melhorias no meu blog.

http://www.alexandrepitante.blogspot.com/

Siga-nos também.

Fica com Deus.

Abraço em Cristo, Alexandre Pitante.

Instituto Veritas disse...

Achei muito interessante a frase do Nietzsche, ainda que contraditório... não seria este um blog cristão?

Paulo Flavio de Andrade

JPM disse...

Olá,
Tive contato com o teu blog no da Renata.
Agora vim conhecê-lo e seguí-lo.
Desde já és convidado a visitar o meu.
Sobre a questão da alienação parental, é algo de grande alcance, e é uma das tantas razões que justificariam um investimento concreto na saúde emocional da população, como defendo no meu livro.
Saúde e felicidade.
João Pedro Metz